quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Medalha Mérito de Justiça e Disciplina - 2011


O sistema de Justiça e Disciplina na PMESP não se resume à Corregedoria da Polícia Militar.

Todas as Unidades da Corporação têm suas Seções de Justiça e Disciplina trabalhando em consonância com a CORREGPM na apuração das transgressões tanto disciplinares quanto criminais militares.

A Medalha Mérito de Justiça e Disciplina visa premiar os Policias Militares que trabalham nessa área, não apenas os componentes da Corregedoria da Polícia Militar.

Na medalha, as garruchas cruzadas no centro tem a destra uma coluna com a inscrição, em caracteres versais “JUSTIÇA” e à sinistra outra coluna com a inscrição “DISCIPLINA”.
     As estrelas na fita também representam esses dois valores.
     Medalha criada pelo Decreto Estadual n° 56739 de 07 de fevereiro de 2011.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Distintivo do Curso de Armamento e Tiro


O distintivo acima se refere a um curso que habilitava o aluno no manuseio de diversos tipos de armamentos diferentes.
A ideia era ter em cada Batalhão um componente eclético em diversas armas e explosivos, bem além do padrão usado pela Corporação.
Com o tempo se verificou que era mais prático existir uma Unidade ou Subunidade especializada nesses assuntos como é o GATE (GRUPO DE AÇÕES TÁTICAS ESPECIAIS) de hoje.
Por esse motivo o curso acabou sendo extinto, mas, eventualmente se pode encontrar Policiais Militares com o distintivo.

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Cruz de Serviços Relevantes - Guarda Civil do Estado de São Paulo - 1967


Das condecorações dadas aos milicianos paulistas por participação na  segunda guerra mundial, essa é a única de nível estadual.
Ela foi dada, principalmente, mas não exclusivamente, aos Guardas Civis do Estado de São Paulo que participaram da segunda guerra mundial nos campos da Itália.
Receberam essa medalha aqueles que trabalharam como Military Policemen, ou seja, executaram o serviço de Polícia do Exército na Força Expedicionária Brasileira – FEB na Itália, ou serviram na infantaria nos pelotões de fuzileiros.
Por ser um número pequeno de medalhas (menos de 80) a “CRUZ DE SERVIÇOS RELEVANTES” tornou-se uma condecoração difícil de se ver "ao vivo" nos dias de hoje.
Conforme dito anteriormente, ela não era exclusiva para os veteranos da FEB, mas, tendo sido criada em junho de 1967 ela só pôde ser outorgada a poucas outras pessoas, uma vez que a Guarda Civil foi fundida com a Força Pública pouco mais de dois anos depois e essa medalha acabou sendo extinta.
Medalha criada pelo Decreto Estadual nº 48109 de 12 de junho de 1967.
Comentei mais sobre a participação de Policiais Militares paulistas na segunda guerra mundial aqui.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Distintivo do Curso de Operações Especiais


A “faca na caveira”, conhecida nacionalmente por um filme policial brasileiro, é mais antiga do que se pensa, como veremos a seguir.
O Comando de Operações Especiais:

Ainda que a PMESP seja prioritariamente uma Instituição voltada para a polícia Comunitária, há uma parcela da tropa voltada para ações especiais que diferem desse tipo de serviço.
O Comando de Operações Especiais (COE), é uma dessas tropas e, para servir ali se exige um preparo diferenciado.
Em 1970, aconteceram no Vale do Ribeira, no Estado de São Paulo, ações típicas de guerrilha, visando a implantação do regime comunista no Brasil.
Nestas ações a Polícia Militar do Estado de São Paulo, perdeu tragicamente o Aspirante a Oficial PM ALBERTO MENDES JÚNIOR em 13 de março de 1970.
 Nesta época foram convocados todos os Policiais Militares que possuíam o curso de paraquedismo ou ex integrantes das fileiras da então Brigada Aeroterrestre do Exército Brasileiro, apresentando-se 103 voluntários e após inúmeros testes psicotécnicos e de aptidão física, foram aprovados apenas 33 (trinta e três) voluntários surgindo então o Pelotão de Operações Especiais (POE).
No dia 11 de Janeiro de 1971, todo o efetivo foi transferido na condição de adido para o 1º BPChq - TOBIAS DE AGUIAR”, onde permaneceu como Pelotão ate  o dia 19 de marco de 1971, quando passou a se chamar COE (Companhia de Operações Especiais),
Passou a denominar-se “COMANDOS E OPERAÇÕES ESPECIAIS”, após analise do emprego do COE na Operação de Anti-Sequestro do Avião Electra II, da VARIG em 1972, no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, sendo considerada uma ação de “COMANDOS”.
O COE é hoje a 1ª Companhia do 4º Batalhão de Policiamento de Choque.
Acima o distintivo do curso para uso na farda de serviço que é camuflada.

 Sobre o Curso de Operações Especiais:

Com duração de 06 semanas, o Curso de Operações Especiais (COEsp-SP) desenvolvido pelo COE (Comandos e Operações Especiais) tem por objetivo preparar o homem para as atividades de Comandos e Operações Especiais, quer em ambiente urbano ou de matas, englobando atuações por terra, água ou ar, além do desenvolvimento junto ao aluno, dos atributos de resistência á fadiga física e psicológica, autocontrole, liderança no comando de grupo e frações em operações, assim como da capacidade de planejamento após esforços físicos prolongados, onde os alunos são treinados para não depender exclusivamente - e em quase nada- da tecnologia para o combate.

O curso se desenvolve de maneira ininterrupta com instruções diuturnas durante os sete dias da semana.
Vale destacar que a media de concludentes do Curso é de cerca de 40% dos que iniciam, sendo que a maioria maciça dos outros 60% desiste de maneira voluntária. O primeiro do Curso de Operações Esp eciais foi levado a efeito em 1971.

 
      Acima uma imagem do sequestro do avião Electra II em 1972.
      A ação na ocorrência deu o nome COMANDOS ao atual COE.
 

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Medalha Centenário do 5º BPM/I - General Julio Marcondes Salgado - 2009

A cidade de Taubaté e região, pelas suas características, têm muito do que do que se orgulhar.
Um dos motivos de orgulho é abrigar o mais que centenário Quinto Batalhão de Policia Militar do Interior - General Júlio Marcondes Salgado.
Criado em Dezembro de 1896, esta unidade vem, acompanhando passo a passo a evolução de São Paulo. Seu primeiro comandante foi o Tenente Coronel ARTHUR DA GRAÇA MARTINS.        
Abaixo uma vista aérea da bonita sede da Unidade onde está desde os anos 20 do século passado:
 
Sua participação mais dramática na nossa história seria na Revolução Constitucionalista de 1932, com o sacrifício das vidas de vários dos seus integrantes, inclusive a de seu ex-comandante, o GENERAL JÚLIO MARCONDES SALGADO, que hoje empresta seu nome à Unidade.
O 5º BPM/I é considerado “Unidade Mãe” das Organizações Policiais Militares sediadas no Vale do Paraíba, as quais se desmembraram visando uma maior eficácia operacional.    Além de desenvolver atividades próprias de policiamento preventivo em diversas cidades, tem também a incumbência de cuidar da segurança externa de um Complexo Penitenciário existente na Região.    
Medalha criada pelo Decreto Estadual 54100 de 12 de março de 2009.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Distintivo do Curso de Manutenção de Viaturas do Corpo de Bombeiros


Publico hoje um distintivo que, apesar de saber que se trata de habilitação para manutenção de viaturas do Corpo de Bombeiros, não tenho mais nada a acrescentar a não ser o fato desse distintivo em particular ter sido usado pelo saudoso Coronel Caldas, um dos heróis do edifício Joelma e ser o fundador dos Grupamentos de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros em São Paulo.
É claramente um distintivo antigo, tanto pelos sinais de uso quanto pela chapa plástica colocada atrás da peça, prática comum nos anos 60/70.